terça-feira, 8 de março de 2011

Palavreu



Me desabrocho em letras, sou palavra escrita, palavra falada e palavra sentida.
Uma letra em cada digital que traduz, dentro e fora, o que sou, o que fui, o que serei e o que é em mim.
Sou divisões silábicas, cheia de hiatos, ditongos e encontros vocais. Divido-me em fonemas, dígrafos, e como toda palavra bem escrita, possuo minha sílaba tônica.
Engula-me, soletre-me, devore-me, sinta-me. Fui feita palavra de poema e me declamo de dentro pra fora e de fora pra dentro de você.
Desvende-me. Dispenso dicionários. Fui feita palavra pra consumir teus olhos, teus lábios e tua língua, e, como um sopro leve ao pé de teu ouvido, invadir tua alma, a mente, as vísceras e o coração.

-Manuela Cecília.

Um comentário:

  1. Simplesmente lindo. Não imaginei forma melhor para se descrever, muito bom.

    ResponderExcluir